home Atividades laboratoriais Estresse: O mal do século

Estresse: O mal do século

De acordo com uma pesquisa da Isma-BR, representante da International Stress Management Association, nove em cada dez brasileiros no mercado de trabalho apresentam, do grau mais leve ao incapacitante, sintomas de ansiedade e estresse.

Sensação de medo, queda de cabelo, impaciência, dor de cabeça, preocupação, irritação, nervoso e desconforto são algumas dos sintomas mais frequentes de estresse. Episódios depressivos, reações ao estresse grave e transtornos ansiosos foram os principais diagnósticos de mais de 16.000 pessoas afastadas do emprego e que receberam auxílio do INSS, em junho de 2015, segundo o Anuário Estatístico de Acidentes do Trabalho, do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos.

“A rotina, a pressão de chegar atrasado aos compromissos, as condições precárias de transporte e a falta de educação”, disse Gabriela Silva. “Muitas dessas situações contribuíram para minha ansiedade.”, concluiu.

Para Felipe Castro o ritmo da cidade é o mais estressante. “Você tem sempre que estar a mil por hora. Não tem como relaxar.”, disse.

Grande parte do estresse é causado pela quantidade excessiva de trabalho e a pressão do chefe. Médicos, professores, vendedores, policiais e motoristas são algumas das profissões mais estressantes, já que lidam diretamente com o público e dependem de fatores externos.

“Exigências da sociedade, como um diploma, emprego, casa, bom salário e casamento são estresse garantido.”, disse Maria Luíza de Moura.

“Meu pai me cobra muito em relação a emprego.”, disse Leonardo Vieira.

Segundo pesquisa feita pela empresa Euromonitor, 61% dos brasileiros se preocupa em controlar o nível de estresse. Porém, mesmo com a preocupação em controlar, 13,8% afirma viver uma vida sedentária e não atuam para minimizar os efeitos.

“A preocupação continua muito em controlar o peso, em emagrecer, então as ações que ele toma são muito mais voltadas para emagrecer e para manter em corpos adequados do que fato para melhorar a saúde como um todo.”, disse Angélica Salado, pesquisadora da Euromonitor.

“Nós ficamos doentes como o stress, porque o stress altera todo o equilíbrio hormonal, que é muito importante no nosso físico, além de produzir substâncias que podem aumentar a pressão arterial, podem aumentar a frequência cardíaca, com isso podem gerar doenças cardíacas como infarto, doenças neurológicas como AVC, cânceres e infecções.”, disse o cardiologista e coordenador do check-up da Beneficência Portuguesa, Marcelo Ferraz Sampaio.

Lucas Pimentel, estudante de Publicidade e Propaganda, conta o que mais estressa: a rotina. Ouça:

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

O farmacêutico Diego Marques Moreira disse que o estresse está relacionado com ativação de glândulas cerebrais, onde há maior secreção dos hormônios adrenocorticotróficos, com ativação da glândula supra-renal, liberando o hormônio cortisol e aumentando diversos processos metabólicos. “Como o estresse pode desencadear alterações hormonais isso poderá levar ao surgimento de diversos sintomas e doenças, geralmente os primeiros sinais do estresse estão relacionados ao sistema nervoso onde os pacientes apresentam dores de cabeça constantes, comprometimento da memória. Outros sintomas são bem comuns como espasmos e/ou dores musculares, gripes frequentes pela diminuição dos mecanismos de defesa do nosso corpo. A frequência cardíaca nesses casos podem aumentar pela hiperatividade do sistema nervoso autônomo simpático, consequentemente a pressão arterial pode se alterar, doenças como diabetes, colesterol podem estar elevados em casos de estresse.”, completou.

Com uma vida cada vez mais corrida, a maioria dos brasileiros possui algum sintoma de estresse. Horas no trânsito, trabalho, faculdade, relacionamento e dinheiro são alguns dos maiores causadores. Para controlar o estresse e minimizar os efeitos em nossa saúde, alguns artigos dão dicas de como controlar os sintomas fisiológicos, como coração acelerado, sintomas cognitivos, como o pensamento acelerado e reações motoras. Beber um copo de água, respirar profundamente, brincar com animais, tomar um bom café da manhã e abraçar alguém que se gosta são algumas das indicações para momentos de estresse, assim como:

Meditação e oração, concentrando-se em sua respiração;

Separando um espaço em seu dia para o planejamento das atividades e compromissos;

Desprendendo-se dos resultados, focando em cada passo e não no resultado final;

Observando o que funciona e o que não funciona, atente-se ao que te aproxima de seu objetivo e o que te distancia do resultado desejado, estando preparado para eventuais mudanças.

É importante identificar as fontes de estresse na sua vida, especialmente os fatores internos e externos que contribuem para o crescimento dessa sensação, como seus próprios pensamentos, sentimentos e comportamentos indutores de estresse. Porém, algumas formas são contraindicadas ao se lidar com o estresse, como álcool, cigarro, comer em excesso, dormir em excesso, uso de medicação ou drogas, procrastinação e direcionar o estresse para outras pessoas, seja por explosões de raiva ou violência física.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *